quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Barbosa Ferraz chega a quase 800 casos de dengue; Prefeitura foi incompetente, é o que mostram os dados da SESA e OMS

Por Claudiney Costa - rato, 19/02/2020



Na noite desta terça-feira (18) a secretaria municipal de saúde fechou o relatório com os novos números da dengue no município de Barbosa Ferraz. Agora já são 797 casos confirmados da doença e mais 124 ainda em investigação. Até agora foram registrados 1.666 notificações para dengue, com 745 negativos.


Em relação à semana anterior, que foi divulgado no dia 13 deste mês (590 casos), agora teve um aumento de quase 200 casos da doença em apenas uma semana. Um total de quase 400 novos casos registrados em menos de um mês.

Em menos de 30 dias já foram registradas três mortes por dengue no município e número de pessoas contaminadas e procurando o hospital municipal continua aumentando. Filas de pessoas são vistas todos os dias no laboratório no centro da cidade, onde colhem o sangue para realização dos exames da dengue.

Município de Barbosa Ferraz vive um caos na saúde pública e os servidores do setor estão sobrecarregados.

Após a morte de uma criança de 9 anos, no último domingo (16), o prefeito Edenilson Aparecido Miliossi, resolveu convocar uma reunião de emergência e pedir o auxílio da população e um arrastão deve ser realizado nesta quarta-feira (19).

Irresponsabilidade:

Em um comparativo com outro município do estado, Ibiporã, que fica na região metropolitana de Londrina, já instituiu uma força-tarefa quando o LIRA (Levantamento rápido do índice do Aedes aegypti) atingiu o índice de 1,7%, que é acima do estabelecido como normal pela OMS -Organização Mundial de Saúde, o próprio prefeito de Ibiporã, com percebeu o índice, instituiu a situação de alerta e todas as medidas protetivas, multando os locais de focos da dengue.

Barbosa Ferraz por sua vez, em relatório de informe técnico de informações da Secretaria do Estado da Saúde da diretoria de atenção e vigilância em saúde e da coordenadoria de vigilância epidemiológica, ensino informe técnico desde 02/01/2020 até 06/02/2020, já possuía um índice de risco maior de epidemia, maior ou igual a 4%, ou seja um LIRA de 6, 40%, muito acima do esperado e aceito pelo Ministério da Saúde e pela OMS – Organização Mundial da Saúde.

A atual gestão municipal de Barbosa Ferraz cometeu um gravíssimo erro ao não respeitar os números e o avanço da doença quando chegou ao índice limite apontado pela OMS, deixando o município chegar ao estado de epidemia e infestação, muito disso por não ter tomado as medidas cabíveis em tempo hábil, assim como outros municípios de outras regionais estão fazendo, a exemplo de Ibiporã, que já adota as medidas de orientação constante, arrastões e fiscalização contínua, desde quando tiveram o primeiro alerta para os riscos, o que infelizmente não aconteceu em Barbosa Ferraz.

Já se sabia desde a fechamento dos dados do mês de janeiro deste ano, que o grau de infestação e contaminação que a coluna do rato vinha divulgando, e que o município tinha acesso, já estava caminhando para o que acontece hoje.

O atual prefeito, Miliossi, não adotou na época certa, as medidas de contenção, por omissão ou por ingerência administrativa, por não ter adotado previamente as medidas de contenção, o que poderia ter diminuído o caos que o município atravessa na saúde pública. Isso é o que diz a própria orientação da Secretaria Estadual de Saúde, que alerta da responsabilidade do prefeito quando a situação chega a esse ponto. Acesse este link aqui

Os números trazidos nessa reportagem são públicos, através de informes da própria secretaria estadual de saúde e Ministério da Saúde, com orientação da OMS.