segunda-feira, 30 de março de 2020

Bolsonaro fala em por fim ao isolamento através de decreto nesta segunda-feira (30)



Um dia após o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmar que a política do governo é até estender por mais tempo o isolamento da população para conter a expansão da epidemia de coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que pretende baixar decreto nesta segunda-feira (30) para liberar a volta ao trabalho de todos os setores, com exceção da população incluída entre os grupos de risco – maiores de 60 anos e portadores de outras doenças.


Repetindo o bordão da campanha “O Brasil não pode parar” – que Bolsonaro disse que nunca existiu, embora o site da Presidência tenha divulgado vídeo -, o presidente afirmou que se o povo não voltar a trabalhar para poder “levar o leite para casa”, o país vai se transformar numa Venezuela.

Na entrevista que deu à imprensa à entrada do Palácio do Alvarado logo após voltar de um périplo por supermercados e feiras de Brasília e de cidades satélites, Bolsonaro desautorizou o ministro Mandetta e a equipe técnica da Saúde ao pregar que protocolos médicos não precisam ser cumpridos: “Eu tenho de assumir riscos, eu tenho de tomar decisões […], eu não vou me furtar de assumir posições. Eu vou pro meio do povo. Quem me critica não vai, mas eu vou, porque eu seu povo.”

Bolsonaro voltou a criticar aqueles que provocam histeria e pânico na população. “Se eu fosse perguntar para alguns se eu poderia ir pra rua hoje, eles diriam não. Da minha parte não existe isso.”