terça-feira, 24 de março de 2020

Dono do Madero diz que Brasil não pode parar por causa de 5 mil mortos


O empresário paranaense (Luiz Renato) Junior Durski, dono da rede Madero de hamburguerias, divulgou vídeo no Instagram nesta noite de segunda-feira (23) para afirmar ser possível que o conavírus venha a matar cinco mil pessoas no país, mas alertou que o “Brasil não pode parar dessa maneira. O Brasil não aguenta. Tem que ter trabalho, as pessoas têm que produzir, têm que trabalhar. O Brasil não tem que essa condição de ficar parado assim. As consequências que teremos economicamente no futuro vão ser muito maiores do que as pessoas que vão morrer agora com o coronavírus”.


Segundo ele, o número de mortes causadas pela doença não será tão grave quanto o de desemprego.

No vídeo, Durski afirma que deve haver um “controle” sobre as restrições e que os infectologistas não podem simplesmente decidirem que o país tem de parar, desconhecendo “as consequências gravíssimas que o Brasil vai ter na sua economia”.

O empresário, que pertence à corrente bolsonarista, tem como sócio o apresentador Luciano Huck e como modelo o dono da Havan, Luciano Hang, disse ainda no vídeo que morrem mais brasileiros por causa da violência (57 mil assassinados), da desnutrição e da tuberculose do que a quantidade de gente que vai morrer infectada pelo coronavírus.
“Agora vão morrer 5.000 pessoas por coronavírus que nós não podemos evitar. Não tem como fechar tudo, se esconder do inimigo e não trabalhar”, completou.
Segundo Durski, caso os controles sobre setores da economia permaneçam, o número de desempregados no Brasil vai saltar para até 40 milhões no próximo ano, o que pode gerar outros tipos de mortes no futuro, como por doenças psicológicas.