sábado, 18 de abril de 2020

BARBOSA FERRAZ: Sem medo do vírus a cidade volta a normalidade


Com o início do crescimento dos casos de covid-19 no Brasil, Campo Mourão como a região mais preocupante do interior do estado, segundo avisou o secretário estadual de saúde, Beto Preto, casos começando a aparecer no Vale do Ivaí e um já confirmado em Fênix, o prefeito de Barbosa Ferraz decidiu afrouxar as regras de isolamento social e além de já ter autorizado a abertura do comércio, agora autoriza também as igrejas a voltarem a funcionar, recebendo fiéis.


De acordo com as informações, as igrejas poderão receber 30% de sua capacidade, ou seja, se na Igreja católica Nossa Senhora das Graças tem capacidade para 700 pessoas, o local poderá ser ocupado por pouco mais de 200 pessoas. Já o Santuário Santa Rita com capacidade superior, poderá ser ocupada durante as missas por algumas centenas de pessoas. Barbosa Ferraz também conta com dezenas de igrejas evangélicas. Pessoas de meia idade e terceira idade, na grande maioria enquadradas nos grupos de risco, são os frequentadores mais assíduos.

O comércio de Barbosa Ferraz foi liberado e o que se viu no primeiro dia (imagem) foi que estava em festa, com pessoas amontoadas, como se o pesadelo desse vírus acontecesse em outro planeta, não aqui na terra.

A realidade é que o povo não respeita as limitações e vagam com a naturalidade infantil de uma criança sem noção.

Existem aqueles que apoiam a liberação total, que venha o vírus, que contaminem a todos e que salve-se quem puder. O que importa é a economia, vamos morrer de fome? Mentira, o que vale é o lucro, ele está acima de tudo, até mesmo da vida. A morte não vive de economia, não vive de lucros, ela é o fim! Tratam o risco da morte com tanta naturalidade que assusta.

A Santa Casa de Campo Mourão já chegou ao seu limite. Para onde irão os futuros pacientes que serão lançados a própria sorte? Alguns dizem que contêineres frigoríficos estão sendo preparados, mas não é ainda por aqui, é ali, na divisa, em São Paulo e já em outros estados, que já chegaram ao limite de vagas em UTIs. A escolha lá, agora, é quem vive e quem morre. Na opinião do novo ministro da saúde (discurso em vídeo antigo dele amplamente divulgado nos últimos dias), os mais novos devem viver e, é claro, se a disputa pela vaga da UTI, se ainda existir, não for com algum empresário rico ou banqueiro.

Em Fênix o povo está apavorado com seu primeiro caso oficial, não pelo paciente, que já está isolado, em tratamento, mas segundo relatos, por ele ter tido contato com outras pessoas que agora podem estar com o vírus e estas mesmas pessoas com certeza tiveram contato com outras, formando uma teia de contágio. Esse é o temor que passa na cabeça de todos.

Barbosa Ferraz é a cidade polo da nossa pequena região e seguindo assim, não tarda para o terror chegar por aqui.

A falta de coragem – covardia - de quem deve impor limites, restará à conta.

Muitos tratam o caso como se no Brasil o vírus não tivesse dado certo e tudo não passasse de um grande complô contra o governante e as milhares de mortes, em velocidade assustadora, estivesse acontecendo em cenas de filmes, mundo afora. Ingenuidade, aqui é apenas o começo!

Deus proteja a todos, até mesmo os hipócritas, que mais tarde irão desesperadamente procurar uma máscara que encubra todo o rosto!