terça-feira, 28 de abril de 2020

Petistas em silêncio após Bolsonaro nomear ministro amigo de Gleisi Hoffmann


De acordo com o jornalista Rigon, o leitor dificilmente encontrará algum petista que faça restrições ao novo ministro da Justiça e da Segurança Pública, André Luiz de Almeida Mendonça, ex-AGU, que é advogado e pastor presbiteriano que cursou Teologia em Londrina. Nascido em Santos, é tido como amigo e apadrinhado da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e de seu ex-marido Paulo Bernardo.

Mendonça foi assessor especial do ministro da Controladoria-Geral da União Wagner Rosário entre 2016 e 2018. Foi advogado da Petrobras Distribuidora até ingressar na carreira de advogado da União, em 2000.

Ele começou como procurador-seccional da União em Londrina, passou ao cargo de vice-diretor da escola do órgão, foi coordenador de Medidas Disciplinares e chegou ao cargo de corregedor-geral.

Mendonça foi diretor do Departamento de Patrimônio Público e Probidade Administrativa, nomeado pelo então advogado-geral José Antonio Dias Toffoli, que advogou para o PT.

Formado em Direito em 1993 na Faculdade de Direito de Bauru (Instituição Toledo de Ensino), no interior de São Paulo.

Na prática, Bolsonaro tirou um maringaense antipetista e colocou um progressista que tem relações com petistas, o que, para boa parte do bolsonarismo, é crime hediondo.

(Foto: Isac Nóbrega/PR)