quarta-feira, 13 de maio de 2020

ENGENHEIRO BELTRÃO: Morador grava áudio de WhatsApp com informações falsas e caso acaba na justiça



A interpelação judicial aconteceu após um morador da cidade de Engenheiro Beltrão ter divulgado um áudio de WhasApp imputando falsas acusações contra os nove vereadores do município e ainda dando a entender que além dos nove mais duas pessoas, que seriam prefeito e vice, estivessem envolvidos na falsa acusação do acusado.

No áudio que ele divulgou através do WhatsApp e acabou viralizando na cidade, ele fala sobre uma emenda parlamentar de R$100 mil reais, do Ministério da Saúde, que foi liberada através de emenda parlamentar do deputado Ênio Verri a pedido do presidente da câmara Valdir Hermes da Silva, o Americano.

O homem, que não teve o nome revelado, já que a ação está em segredo de justiça, ele afirma que os R$100 mil reais enviados pelo governo federal estaria no bolso dos nove vereadores e mais duas pessoas, somando 11 pessoas. Ele dá a entender claramente no áudio que o dinheiro deverá ser dividido entre os 11.

Ao tomar conhecimento do áudio, os vereadores ficaram indignados com a calúnia cometida pelo homem, já que mensagens de whasApp se espalham muito rapidamente.

Uma ação de interpelação na justiça da comarca foi protocolada pelo departamento jurídico do poder legislativo e agora o homem terá que se explicar junto a justiça sobre a calúnia que espalhou pela rede social.

Logo após espalhar o áudio e perceber o erro que cometeu, o acusado veio a público e tentou se retratar, pedindo desculpas e que não teve a intenção de dizer o que disse. O caso então foi levado a justiça e ele terá de se explicar junto ao poder judiciário pelo crime de calúnia.

Emendas parlamentares, quando não veem destinadas através de obras ou veículos, que inclusive necessitam de contra partida do município em muitos casos, a exemplo de recursos livres, entram no orçamento do município e todos os recursos são controlados e monitorados pelo TCE/PR – Tribunal de Contas do Estado, além do MPPR - Ministério Público Estadual, que é o órgão de fiscalização, além do próprio poder legislativo.

No caso especifico da emenda do deputado Ênio Verri, como foi destinado para saúde do município, ela entrou direto no orçamento da pasta, sendo obrigatório por lei que seja aplicado em saúde pública.

O áudio foi anexado junto com outros documentos e encaminhados na denúncia. Não foi informado ainda a data da audiência em que o acusado deverá comparecer para responder sobre o crime de calúnia.