quinta-feira, 13 de agosto de 2020

BARBOSA FERRAZ: Começa novo período de combate a dengue; o último foi uma tragédia


Período que será lembrado como um dos piores e mais trágicos da sua história no combate aos focos de dengue, Barbosa Ferraz fechou o período sazonal da Dengue nesta segunda-feira (10) e se inicia um novo ciclo de contagem. O novo ciclo foi reiniciado em todo estado nesta terça-feira (11). 

O município de Barbosa Ferraz registrou um dos maiores índices de contaminação dos 399 municípios do Paraná e maior a região, levando em consideração os números de infectados para cada grupo de 100 mil habitantes. (AQUI)

Com sete pessoas mortas em decorrência da Dengue, o município teve mais de 10% de toda sua população contaminada. Isso levando em consideração apenas os números oficiais, apontados pela secretaria municipal de saúde. Muitas pessoas sequer procuraram atendimento médico e outras tantas buscaram atendimento em outros municípios e esses números não foram contabilizados. Pessoas ligadas a saúde afirmam que os números da dengue no município podem ter sido três vezes maior que os mais de 1500 infectados.

A falta de planejamento no município e de campanhas de conscientização, orientação e rigidez no combate ao vírus no início, foi um dos fatores que fez com que o município ficasse a frente de tantos outros, sobrecarregou os servidores do hospital municipal, que viram pacientes aos montes chegarem todos os dias em busca de socorro. 

Mortes

Além das outras seis mortes, um dos episódios mais comoventes foi a morte prematura da criança, Beatriz Stella, 9 anos de idade, moradora do Quebra Molas. Ela era aluna do 5º ano da escola municipal Jacira Momesso de Almeida Peternelli e faleceu no domingo, dia 16 de fevereiro deste ano vítima de Dengue. Dias depois a secretaria estadual da saúde confirmou que a criança não tinha problema de saúde anterior e morreu devido a Dengue. O caso ganhou grande repercussão em todo estado e comoveu toda a cidade e as pressas, na época, o prefeito Miliossi realizou uma reunião, chamando a comunidade para pedir ajuda. A reunião terminou em bate boca. A situação da dengue no município já estava fora de controle. 

O que fica de tudo isso?

Fica o exemplo que não deve ser seguido; fica a experiência de que não se pode pagar para ver e fica principalmente a triste lembrança de todas as famílias que tiveram os seus mortos pela picada de um mosquito e que a partir desse novo período sazonal, que vai até agosto de 2021, todos, poder público e população, reconheçam seus erros e trabalhem para evitar uma nova tragédia na saúde pública.