terça-feira, 1 de setembro de 2020

Discussão termina com mulher e ex-marido mortos após explosão de botijão de gás, em Cruzeiro do Oeste



Clóvis Sanches dos Santos, 43 e Marcilene Aparecida da Silva, 39, são as duas vítimas que morreram carbonizadas após uma explosão de gás em Cruzeiro do Oeste, nesta segunda-feira (31). Os corpos – que ainda não foram formalmente identificados – foram recolhidos ao Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama para exames.
 


De acordo com informações do 7º Batalhão de Polícia Militar (7º BPM) a ocorrência foi registrada na rua Ana Maioli Longuini, onde morava Marcilene. Por volta das 20h20 vizinhos relataram ter ouvido uma explosão e acionaram as equipes, que por sua vez comunicaram os bombeiros.

No local o quarto da residência estava completamente em chamas e os bombeiros deram o combate por meio de uma janela cujo vidro se quebrou por conta da explosão. Dentro do quarto, após o controle das chamas, os bombeiros localizaram dois corpos: um homem e uma mulher, cujos cadáveres estavam completamente carbonizados.

Havia também um botijão de gás dentro do cômodo. Vizinhos disseram aos policiais militares que Clóvis e Marcilene, que estavam separados, haviam discutido instantes antes da explosão. Na sequência saiu com o carro, deu a volta pelos fundos da residência e pulou o muro.

Em nota a Polícia Militar (PM) disse que é “possível verificar que a mangueira do botijão havia sido rompida”. A suspeita é de que Clóvis tenha provocado a explosão por não aceitar o fim do relacionamento. No entanto há informações de uma terceira pessoa no local do crime. A Polícia Civil (PC) vai investigar o caso.

Marcilene tinha uma medida protetiva contra Clóvis, que já havia ameaçado e agredido a vítima em outras oportunidades. As informações da PM são de que Marcilene, que era funcionária de um frigorífico, estava em um outro relacionamento.

Clóvis, que trabalhava como marceneiro, tinha ficha criminal, segundo informou a PM. (O Bem dito)