sexta-feira, 13 de novembro de 2020

BARBOSA FERRAZ: Confirmado o crime, compra de votos deve acabar na Polícia Federal


O caso (AQUI) envolvendo a suposta compra de votos, onde uma senhora acabou vazando o áudio para uma amiga, que segundo relatos da própria envolvida, gostaria também de receber a vantagem, acabou ganhando grande repercussão no município e na região. Após o promotor de justiça tomar conhecimento do crime eleitoral envolvendo a candidata Marinalva Carvalho (PL), o promotor de justiça entrou no caso e segundo relatos, da própria envolvida, foi até a casa da mulher e teria obtido os relatos da situação. 

A pergunta que muitos estão se fazendo após o escândalo é como isso deverá ficar agora. 

Nossa reportagem entrou em contato ontem (12) com a Polícia Civil para saber se a entidade estaria no caso. O delegado informou que a Polícia Civil está a disposição do Ministério Público, mas que inquéritos dessa natureza são de competência da Polícia Federal e não da Polícia Civil.  

Nos casos de crime eleitoral envolvendo a compra de votos, comprovados, após o Ministério Público analisar todas as evidências e confirmados os indícios, o MP pode pedir a cassação e o caso deve acabar em um inquérito aberto pela Polícia Federal. Os crimes eleitorais dessa natureza são de competência da Polícia Federal. 

Ao final de uma ação dessa natureza, para a justiça só existe duas possibilidades de sentença, ou a absolvição, caso não haja provas, ou a condenação com a cassação da chapa de prefeito e vice, ou caso vença a eleição, a cassação do mandato eletivo. Nesses casos não existe apenas a pena de multa para o candidato. 

Agora é aguardar para saber como deverá acabar o caso.