segunda-feira, 23 de novembro de 2020

PM de Barbosa Ferraz confirma apreenção de arma de fogo e 21 munições durante confusão na Vila do Roque

Após a confusão na Vila do Roque, no início da noite deste domingo (22), a Polícia Militar foi chamada e de acordo com o comandante da Polícia Militar do Destacamento local, Sargento Picarski, a situação relatada antes pela reportagem foi confirmada, sendo que durante a confraternização entre alguns amigos, na Avenida São Paulo quase esquina com a Rua Ceará, se iniciou um desentendimento e um dos indivíduos sacou uma arma de fogo e agrediu a vítima com uma coronhada na cabeça, além de um soco no rosto. 

Os militares apreenderam a arma de fogo, calibre 22, e 21munições intactas. 

O acusado, que é conhecido no meio, não foi localizado pela Polícia durante as buscas. Ainda de acordo com o comandante, a situação foi repassada para a delegacia de Polícia Civil, que deve abrir inquérito para continuar investigando o caso.

 


O CASO

A confusão aconteceu por volta das 18h deste domingo (22), na Avenida São Paulo, quase esquina com a Rua Ceará, na Vila do Roque. Um homem ficou ferido após ter sido golpeado com uma coronhada na cabeça e um soco no rosto. 

De acordo com as informações de um dos irmãos da vítima, toda situação teve início quando alguns amigos estavam no local, defronte à casa da vítima, e faziam brincadeiras entre eles. Em seguida chegou um homem, que segundo relatos é morador da Vila Operária, próximo de um local chamado caixa d’água, e este homem teria entrado na brincadeira, mas em determinado momento teria se irritado e sacou uma arma de fogo, deu uma coronhada na cabeça da vítima, identificada por Jorge Jerônimo, e em seguida um soco no rosto.

Um dos irmãos da vítima teria defendido o irmão e tomado a arma do agressor, que se evadiu do local deixando também um telefone celular.

Ainda de acordo com as informações de um dos irmãos da vítima, que entrou em contato com a coluna, Jorge Jerônimo foi levado para o Hospital Municipal de Barbosa Ferraz e em seguida teria sido removido para Campo Mourão, para passar por exames de Raio-X na cabeça, para verificar se houve alguma fratura de crânio.

Ainda de acordo com os relatos, a Polícia Militar foi acionada e esteve no local, teria aprendido uma arma de fogo de fabricação artesanal, munições e um aparelho de telefone celular.

O agressor não foi encontrado e o caso deve ser investigado pela Polícia Civil.