quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Prefeito eleito é preso em operação da PF contra contrabando de cigarros e agrotóxicos

 


O prefeito eleito de Ivaté, no noroeste do Paraná, Denilson Prevital (MDB) e o pai dele, Valdecir Prevital, foram presos na Operação Zephiros, que investiga contrabando de cigarros e agrotóxicos na região, nesta terça-feira (1º).

Denilson foi candidato após o pai dele, Valdecir, desistir de concorrer à prefeitura.

Além deles dois, outras três pessoas foram presas na operação.

Os advogados do prefeito eleito e do pai dele afirmaram que ainda não tiveram acesso aos documentos que fundamentaram o pedido de prisão, e que assim que forem habilitados no processo eles poderão "contestar as supostas evidências e comprovar a inocência" dos dois.

A Polícia Federal não detalhou qual a suspeita de envolvimento de Denilson e Valdecir nos crimes investigados.

Operação


Além das prisões, a Polícia Federal ainda cumpriu 14 mandados de prisão ao longo da manhã desta terça-feira. A ação da polícia aconteceu nos municípios de Nova Olímpia, Umuarama, Icaraíma, Foz do Iguaçu e Maringá.

A ação também cumpriu medidas cautelares como bloqueio de contas bancárias, sequestro de bens e sequestro de rebanho bovino.

Investigações

De acordo com a Polícia Federal, os agentes investigam há pouco mais de um ano três organizações criminosas que distribuem cigarros e agrotóxicos contrabandeados de cidades do noroeste para outros locais do país.

Durante a apuração, os policiais flagraram um dos grupos recebendo um carregamento de cigarros contrabandeados e maconha do Paraguai no Rio Paraná, em Icaraíma, no noroeste. Na ocasião, foram presos brasileiros e paraguaios.

Em outro flagrante, a Polícia Federal acompanhou o transporte de uma carga de cigarros contrabandeados até a Região Metropolitana de Curitiba. Pessoas que atuaram como batedores da carga foram presas quando retornavam ao noroeste. Parte do valor pago pela mercadoria contrabandeada foi apreendido.

Uma carga de agrotóxicos foi apreendida quando era transportada para Mato Grosso do Sul.

Aproximadamente 1,2 mil caixas de cigarros contrabandeados, 900 quilos de agrotóxicos de origem estrangeira e pelo menos três toneladas de maconha foram apreendidos desde o início das investigações, ainda conforme a PF.

PF afirmou que os presos alvos dos mandados de prisão preventiva são considerados líderes das organizações criminosas investigadas.

"Os grupos atuavam de forma autônoma, mas algumas pessoas dessas organizações tinham algum grau de parentesco, forneciam caminhões um e para outro", explicou o delegado da PF.
(Inf. G1 Paraná)