domingo, 24 de janeiro de 2021

GREVE! Em defesa da vida, professores do Paraná decidem não retornar antes da vacina para todos

Sem vacina e com escolas sem as mínimas condições sanitárias Professores(as) e Funcionários(as) anunciam paralisação.


Durante a manhã deste sábado (23),cerca de 1.100 trabalhadores(as) da educação participaram da assembleia estadual convocada pela APP-Sindicato e aprovaram greve geral a partir do dia 18 de fevereiro. 

Os profissionais da educação pública estadual são contrários ao retorno as aulas presenciais determinada pelo governo Ratinho Júnior, antes que todos os servidores e alunos sejam vacinados e não exista risco para a vida de todos.

Os educadores questionam também as últimas decisões em relação ao setor, que segundo eles sequer foram debatidos com os profissionais da educação.  

Além da defesa da vida daqueles que estão na linha de frente da educação, os(as) participantes da assembleia debateram e aprovaram a jornada de lutas de 2021 e também a campanha salarial. 

No debate para 2021 estão a defesa da vida, principalmente o direito da vacina para todos(as) e o retorno das aulas presenciais somente com a aplicação da vacina e com as condições sanitárias necessárias.

Sem levar em conta o aumento de casos de Covid-19, mortes, suas próprias orientações às restrições quanto a aglomeração e até mesmo um provável colapso no sistema de saúde, o governo Ratinho Júnior emitiu um decreto, nesta semana, determinando a volta das aulas presenciais para todos os alunos da rede pública e privada do estado. Muitos educadores, com escolas e universidades com mais de 500 alunos por turno, temem que a situação saia ainda mais de controle caso o vírus comece a ser proliferado entre os alunos e profissionais da área. 

Ratinho Júnior é um dos governadores alinhados as ideias do presidente Jair Bolsonaro.